Como negociar e conseguir bons descontos

By | September 4, 2012

No artigo 5 pecados financeiros que você deve evitar, falei sobre a importância de sempre negociar o preço antes de uma compra e nunca aceitar a primeira oferta que lhe fazem.

Veja abaixo algumas dicas práticas de como faço para negociar e conseguir bons descontos:

Faça uma pesquisa de preços

Sempre que for negociar um desconto, é importante que tenha em mãos os preços oferecidos pelos concorrentes do estabelecimento. Só assim você terá melhores condições para pechinchar, pois a negociação será fundamentada com fatos e não achismos.

Apesar de ser uma tarefa que exige tempo e esforço, é essencial àqueles que querem comprar mais com menos dinheiro.

Use o preço do produto na internet para negociar na loja

Uma tática que uso para conseguir um bom desconto nas lojas é pegar o preço oferecido no site de empresas como as Lojas Americanas, Magazine Luiza, Fast Shop etc; e usá-lo como referência na negociação.

A lógica por trás disso é que os produtos vendidos pela internet costumam ter preços menores do que os vendidos nas lojas.

Não fale ao vendedor que você viu este preço na internet, pois, provavelmente, ele não estará disposto a negociar partindo desse preço (ele vai querer justificar o por que na internet é mais baixo do que na loja). Apenas diga que passou no concorrente e que ele está oferecendo um preço melhor.

Lembre-se: Omitir é diferente de mentir.

Tente pagar com dinheiro

Existe uma “regra” nas finanças e no comércio que muitos podem não saber e que é importante mencionar: Não existe compra à prazo sem juros.

Quando as lojas oferecem, por exemplo, o pagamento em 3x sem juros, o que acontece é que os juros já estão embutidos no preço final do produto. Com esse “truque”, os clientes acreditam que estão fazendo um bom negócio, o que não é necessariamente verdade.

Se você disser que está disposto a pagar com dinheiro, terá argumentos muito fortes  para negociar um desconto maior, pois:

1. O estabelecimento não pagaria a taxa por transação cobrada pela operadora de cartão, que varia entre 3% a 5%;

2. A loja receberia o valor total do produto hoje e não, por exemplo, só daqui a 3 meses.

Teoricamente, com essas duas justificativas já seria possível começar a negociar partindo de um desconto de 8% a 10%.

Eu digo “teoricamente” porque por mais que você tenha razão, se a loja não estiver disposta a vender por um preço mais baixo, não há argumentos que irão convencê-la do contrário. Caso isso aconteça, é melhor tentar comprar no concorrente.

Fique atento ao desconto em termos percentuais

Um dos maiores erros daqueles que não tem muita familiaridade com finanças é analisar o desconto pelo seu valor absoluto e não pelo percentual. Vou dar um exemplo para facilitar o entendimento.

Suponha que você vá comprar uma TV de LCD no valor de R$2.500 e uma loja lhe ofereça um desconto de R$150. À princípio, a oferta parece ser boa, mas se fizermos os cálculos, esse valor corresponde a um desconto de apenas 6%.

Conforme falei no item anterior, se pagasse em dinheiro, esse é o mínimo de desconto que você começaria a negociar, ou seja, o preço ainda não está tão atraente a ponto de ser considerado uma pechincha.

Por isso, sempre analise o desconto em termos percentuais porque, dessa maneira, você tem mais noção do quanto estará economizando em relação ao valor do produto.

 

Foto: FreeDigitalPhotos.net

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *