Hospedagem colaborativa – A nova onda da internet

By | August 2, 2012

Existe um movimento muito forte no exterior que está ganhando cada vez mais adeptos aqui no Brasil: a hospedagem colaborativa.

A lógica por trás dessa nova forma de viajar é a seguinte: Se você tem um imóvel ou um cômodo na sua residência que está vazio, por que não oferecê-lo a viajantes do mundo inteiro que pretendem conhecer a sua cidade? O anfitrião ganha uma renda extra e o viajante consegue se hospedar de forma mais barata, além de conhecer melhor a cultura local.

Apesar de parecer uma loucura no Brasil, isso é muito comum no exterior e cada vez mais pessoas preferem viajar dessa forma como uma alternativa aos hotéis que são caros, apertados e monótonos.

Há diversos sites de hospedagem colaborativa que funcionam de forma similar: Você faz o cadastro e pode oferecer ou procurar um apartamento, uma casa ou um cômodo em qualquer lugar no mundo.

Os preços são definidos pelos próprios anfitriões, que são notificados quando um usuário solicita uma reserva. O pagamento é feito por cartão de crédito e, dependendo do caso, é cobrado um caução como garantia de que o imóvel será devolvido sem danos.

Confira abaixo alguns sites de hospedagem colaborativa:

Airbnb

O Airbnb, fundado em São Francisco (EUA), foi o primeiro site que surgiu nesse ramo. Além de ter uma base enorme de hospedagens ao redor do mundo, o site conta com um design muito atraente e convidativo.

Acho que a maior virtude do Airbnb é a mente brilhante de seus fundadores, pois eles revolucionaram o mercado de turismo.

Wimdu

O Wimdu é um site de origem alemã que surgiu para concorrer com o Airbnb. Apesar de ter sido lançado depois, ele já é tão grande quanto o seu principal concorrente.

O site oferece muitas opções de hospedagem, mas acho que peca um pouco no visual, pois é meio “frio” (talvez pelas suas origens?) e não tão atraente quanto o Airbnb.

Fica Lá em Casa

Testei também o Fica Lá em Casa, um site similar fundado por um brasileiro e, na minha opinião, a qualidade é bem inferior comparado ao Airbnb e Wimdu.

A quantidade de cômodos disponíveis é muito menor e a ferramenta de busca apresenta falhas. Por exemplo, digitei Natal e ele também mostra os resultados do Rio de Janeiro, Fortaleza etc.

 

Se fosse escolher um deles, eu usaria o Airbnb pela enorme base de hospedagens ao redor do mundo e por ter um site visualmente mais atrativo. Mas isso é um gosto pessoal.

 

Foto: Reprodução / Airbnb, Wimdu, Fica Lá em Casa

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *