Viver ou juntar dinheiro?

By | April 21, 2012

Recebi, recentemente, o email de um amigo pedindo que eu lesse um texto que o Max Gehringer havia divulgado em seu programa na rádio CBN em 2010.

Veja abaixo ou, se preferir, escute o trecho na voz de Max Gehringer, clicando aqui. No final, leia os meus comentários sobre o assunto.

“Recebi uma mensagem muito interessante de um ouvinte da CBN e peço licença para lê-la na íntegra porque ela nem precisa dos meus comentários. Lá vai:

Prezado Max,

Meu nome é Sérgio, tenho 61 anos e pertenço à uma geração azarada: Quando eu era jovem, as pessoas me diziam para escutar os mais velhos, que eram mais sábios. Agora me dizem que eu tenho que escutar os jovens, porque eles são mais inteligentes.

Na semana passada, eu li numa revista um artigo no qual jovens executivos davam receitas simples e práticas para qualquer um ficar rico. E eu aprendi muita coisa. Aprendi, por exemplo, que se eu tivesse simplesmente deixado de tomar um cafezinho por dia durante os últimos 40 anos, eu teria economizado R$30.000. Se eu tivesse deixado de comer uma pizza por mês, teria economizado R$12.000 e assim por diante.

Impressionado, peguei um papel e comecei a fazer contas, e descobri, para minha surpresa, que hoje eu poderia estar milionário. Bastava eu não ter tomado as caipirinhas que eu tomei, não ter feito muitas das viagens que fiz, não ter comprado algumas das roupas caras que eu comprei e, principalmente, não ter desperdiçado meu dinheiro em itens supérfluos e descartáveis.

Ao concluir os cálculos, percebi que hoje eu poderia ter quase R$500.000 na conta bancária. É claro que eu não tenho esse dinheiro.

Mas, se tivesse, sabe o que esse dinheiro me permitiria fazer? Viajar, comprar roupas caras, me esbaldar com itens supérfluos e descartáveis, comer todas as pizzas que eu quisesse e tomar cafezinhos à vontade.

Por isso, acho que me sinto feliz em ser pobre. Gastei meu dinheiro com prazer e por prazer e recomendo aos jovens e brilhantes executivos que façam a mesma coisa que eu fiz. Caso contrário, eles chegarão aos 61 anos com um monte de dinheiro, mas sem ter vivido a vida”.

Fonte: Max Gehringer na Rádio CBN.

 

Comentários:

É preciso tomar um pouco de cuidado ao interpretar o texto acima para que a mensagem correta seja passada.

Existe sim uma lição importante que devemos tirar do relato do Sérgio: Deixar de viver o presente olhando apenas para o futuro não é saudável, pois a vida é curta demais para não aproveitarmos cada momento. Porém, isso não quer dizer que, para curtir a vida, você tenha que comprometer o seu futuro financeiro .

O que eu vejo é que muitas pessoas tem a síndrome do OU: Viver ou juntar dinheiro? Ser feliz ou ser rico? Ter sucesso na vida pessoal ou profissional?

Eu, pelo contrário, penso da seguinte forma: É possível viver e juntar dinheiro, ser feliz e ser rico, ter sucesso na vida pessoal e profissional.

Para isso, cabe a cada um refletir e achar o ponto de equilíbrio em que é possível conciliar as duas coisas.

Por exemplo, existem aqueles que, sem fazer grandes sacrifícios, conseguem poupar 60% do que ganham e estão plenamente felizes com isso, pois são pessoas com hábitos mais simples, alguns ainda moram com os pais e não tem grandes despesas, entre outros motivos.

Há outros que são felizes poupando muito menos, pois apreciam restaurantes mais caros, gostam de viajar todo ano ou porque já constituíram uma família e, por isso, há mais contas a pagar .

O perigo está em gastar tudo ou, pior, gastar mais do que se ganha com o argumento de que a vida é hoje e não amanhã. Esse mau hábito é o caminho certo para uma situação financeira muito difícil no futuro e pode ser que, aos 61 anos, você tenha que trabalhar tanto quanto anos anteriores somente para pagar as dívidas.

Por isso, é importante passar a seguinte mensagem: Não é preciso deixar de aproveitar a vida hoje para ter um futuro financeiro mais tranquilo, mas nem por isso devemos “deixar a vida nos levar” sem se preparar adequadamente para a melhor idade.

Faça uma reflexão e encontre o seu ponto de equilíbrio em que será possível viver e juntar dinheiro, ser feliz e ser rico, ter sucesso na vida pessoal e profissional.

Felicidade e dinheiro podem andar juntas sim!

 

Foto: stock.xchng

 

One thought on “Viver ou juntar dinheiro?

  1. Aline Higa

    Até porque nao sei como uma pessoa consegue gastar tudo ou gastar mais do que ganha e ficar tranquila ! Ou ter varios finaciamentos…
    Pois eu nao consigo.
    Gosto de curtir a vida…mas com segurança!! Sem stress financeiro

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *