Você teria coragem de doar a sua fortuna?

By | December 19, 2012

Hoje de manhã, vi a notícia de que Mark Zuckerberg irá doar 18 milhões de ações do Facebook (totalizando quase US$500 milhões) à uma instituição de caridade.

Vejam a mensagem dele no próprio Facebook:

Não vou entrar no mérito de discutir se isso é um ato sincero ou uma estratégia de marketing, mas uma coisa não podemos negar: a filantropia está bastante enraizada na cultura dos americanos.

Muitos dizem que brasileiro é um povo solidário, mas isso é uma verdadeira mentira! Existem sim algumas pessoas que se importam com o “vizinho”, mas a maioria olha apenas para o próprio umbigo.

Ganhar dinheiro é uma meta pessoal que muitos tem, mas ajudar e dar oportunidades aos menos favorecidos é algo que sequer passa na cabeça. A grande preocupação do brasileiro não é viver em um país melhor, e sim viver melhor em um país. Essa cultura do “eu” e não do “nós” se reflete em todos os problemas sociais que vivemos há vários anos.

Quando vejo grandes empresários estrangeiros fazendo doações inimagináveis em prol de um país mais justo, fico pensando: Será que um empresário brasileiro teria coragem de fazer isso? Doar uma grande parte da sua riqueza para construir um Brasil melhor? Espero que eu esteja errado, mas a minha resposta é não.

É claro que ninguém tem a obrigação e nem a capacidade de doar e ajudar à todos, mas quando você tem o poder de mudar a vida de muitas pessoas, vejo isso como um dever natural de todo cidadão.

Na prática, viver com R$100 milhões ou R$200 milhões dá na mesma, continua sendo muito dinheiro. Eu, pessoalmente, acho improdutivo ter centenas de milhões de reais rendendo juros à uma família enquanto milhões de crianças passam fome bem na sua frente.

De novo: É uma questão de valores, e não de obrigação. Neste quesito, acho que estamos muito atrás dos estrangeiros.

 

Foto: FreeDigitalPhotos.net

 

2 thoughts on “Você teria coragem de doar a sua fortuna?

  1. Erick Costa

    Olá Byong, mais uma vez um ótimo post. Confesso que eu não teria coragem de tal atitude, e como você mesmo disse, se foi sincero ou não, pouco importa, o importante é que este dinheiro irá ajudar muita gente que precisa.

    Reply
  2. Marcelo Pedrosa

    Gostei muito do seu post, li alguns deles, entre eles aquele sobre dinheiro trazer ou não felicidade. Concordo com você, o dinheiro pode não trazer felicidade, mas propicia condições de fazer várias coisas que te dão satisfação. Da mesma forma, também acho que é preciso ter segurança financeira, mas não é preciso acumular montanhas de dinheiro para gerações e gerações futuras de descendentes, se já pessoas que não tem muitas vezes um colchão ou um teto descentes, ou que passam fome. Quanto ao brasileiro ser solidário, é possível, mas realmente se o brasileiro fosse de fato solidário não teríamos tanta desigualdade. Talvez seja falha na educação por não ser voltada para uma visão de respeito ao próximo e ao bem comum. As sociedades de países que pensam mais no coletivo e portanto de fato mais solidárias são efetivamente mais desenvolvidas e apresentam menos desigualdade social. Não que eu acredite que as pessoas devam sair por aí dividindo os seus bens, pois as pessoas são diferentes e tem necessidades, níveis de exigências diferentes, alguns se esforçam para mudar e melhorar outros não ligam ou querem de mão beijada, e não existe almoço grátis. Mas realmente existe um momento em que nossas necessidades estado atendidas e é egoísmo não ajudar os outros com o excesso que porventura o indivíduo possua.

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *